Como saber se estou com depressão pós-parto? Saiba identificar os sintomas

depressão pós-parto


Entenda o que é a depressão pós-parto, transtorno que afeta 1 a cada 4 mulheres. Saiba seus sintomas e como prevenir.
 

O que é depressão pós parto?

A depressão pós-parto é uma doença que acomete mulheres após o parto.

Essa condição é definida como uma profunda tristeza que pode trazer consequências tanto para mãe como o bebê, pois há comprometimento do vínculo entre eles, que pode inclusive não ocorrer.
 

Quais os sintomas de depressão pós-parto?

A depressão pós-parto pode passar despercebida ou ser menosprezada, o que é um grande risco.  

Alguns sintomas que sugerem um quadro depressivo e devem ser valorizados:

  • Falta de interesse por atividades diárias que anteriormente eram prazerosas.

  • Perda ou ganho de peso rápido;

  • Insônia ou excesso de sono

  • Cansaço extremo;

  • Ansiedade e excesso de preocupação;

  • sentimento de menos valia.

  • Sentimento de culpa;

  • Tristeza profunda;

  • Dificuldade para se concentrar e tomar decisões;

  • Vontade de prejudicar ou fazer mal ao bebê ou a si própria
     

Quanto tempo duram os sintomas?

A duração dos sintomas pode ser variável, podendo iniciar logo após o nascimento até meses depois. Na presença de qualquer sinal ou sintoma, o tratamento adequado deve ser iniciado o quanto antes, sempre com acompanhamento profissional.
 

O que causa depressão pós-parto?

A depressão pós-parto pode ter causas relacionadas a fatores físicos, hormonais, emocionais, estilo de vida ou estar ligado transtornos psiquiátricos prévios.

Outras causas são:

  • Depressão e ansiedade já diagnosticadas ou subestimadas;

  • Falta de apoio da família ou do parceiro;

  • Vício em drogas e álcool;

  • Isolamento;

  • Privação de sono

 

Quanto tempo depois do parto pode aparecer a depressão pós-parto?

Os sintomas da depressão pós-parto geralmente aparecem nas 3 primeiras semanas após o parto, mas pode variar muito de mulher para mulher, podendo ocorrer meses após o parto.
 

Como ajudar alguém com depressão puerperal?

Não invalidar ou diminuir o sentimento da mulher   

Não é a hora de julgar, e sim demonstrar que está tudo bem, que ela tem uma rede de apoio e que o que ela está sentindo importa.       

Mostrar apoio durante a gestação e após o parto       

É um momento muito delicado. A nova mamãe precisa de apoio durante a gestação e após o nascimento do bebê. É importante que ela reconheça sua rede de apoio, tendo a certeza que estarão presentes quando ela precisar.       

Indicar a procura de um profissional       

Uma forma de ajudar é com a sugestão da ajuda de um profissional, que poderá iniciar o tratamento adequado. Apoiá-la e acompanhá-la a uma consulta demonstra interesse e suporte.


Qual a diferença entre baby blues e depressão pós-parto?

Muitos confundem o baby blues com a depressão pós-parto, mas são condições diferentes. Baby blues ocorre logo após o parto e se caracteriza por um estado brando de tristeza, melancolia e alterações de humor.  É frequente porém auto limitada, ou seja, dura em torno de 2 semanas com melhora completa dos sintomas sem a necessidade de tratamento. 

A depressão pós-parto tem sintomas mais intensos e de longa duração e, na maioria dos casos, necessita de tratamento profissional.
 

Como superar a tristeza pós-parto?

Superar essa tristeza é essencial para saúde da mãe e para o relacionamento entre ela e o bebê. A seguir conheça alguns fatores que podem ajudar:

  • Consulte um profissional;

  • Procure apoio familiar ou de algum amigo;

  • Se distraia com atividades de lazer;

  • Repouse;

  • Fortaleça sua autoestima;

  • Reconheça as mudanças que ocorreram e tente aceitá-las.
     

Dúvidas comuns sobre depressão pós-parto:

Depressão puerperal é mais frequente no nascimento do primeiro filho ou acontece também nas outras gestações? 

A depressão pós-parto pode acontecer em qualquer gestação. Mulheres que apresentaram depressão pós parto em uma gestação têm maior chance de recorrência nas gestações posteriores.  
 

Como saber se os sintomas fazem parte de um quadro patológico? 

Para saber se os sintomas fazem parte de um quadro patológico é necessário o diagnóstico por um profissional.
 

Quais fatores de risco que aumentam a chance de ter depressão pós-parto?

Existem alguns fatores de risco que podem aumentar a chance de ter depressão pós-parto, são eles: falta de apoio da família e amigos; estresse; falta de planejamento da gravidez; depressão já diagnosticada anteriormente e histórico de transtornos mentais na família.
 

Existe um exame para diagnosticar depressão pós-parto?

Não existe um exame para diagnóstico, apenas a avaliação clínica em que um médico pode diagnosticar o transtorno. 
 

Existe relação entre a amamentação e a prevenção da depressão pós-parto?

Não há relação da amamentação a prevenção, pelo contrário, a depressão pós-parto pode contribuir para redução da prática do aleitamento. 
 

O que a mãe pode fazer quando está com depressão pós-parto para não prejudicar a criança recém-nascida?

A mãe pode procurar ajuda de alguém de confiança (familiares e amigos) ou contratar alguém que possa ajudá-la no cuidado com a criança. Porém, o tratamento medicamentoso e psicoterapêutico devem ser iniciados o quanto antes, pois o vínculo entre mãe e bebe é precioso e deve ser estabelecido.         
 

Existem formas de prevenir a depressão pós-parto?

De forma ampla o que pode ser feito para prevenir a depressão pós-parto é cuidar da saúde mental, evitando se isolar, ter pessoas ao seu lado para te apoiar durante a gestação e após o parto. 

Depressão pós-parto tardia existe?

A depressão pós-parto ocorre nas primeiras semanas de gestação podendo durar meses. Os sintomas podem ser leves no começo e irem se agravando com o tempo, assim o diagnóstico pode ser tardio.

 

 

 

Post Destaque
Não